Já nem sei...

Eu tinha um amor, eu tenho, tinha, nem sei mais. Um certo dia ele se foi. E voltou. E se foi. E voltou...

Ainda o amo ou nunca o amei, são tantas hipóteses, mas nenhuma é a correta para demonstrar a gravidade de meus sentimentos. É normal o estômago ficar jogando vôlei quando eu encontro com você? É normal eu dar um sorriso involuntário mesmo quando estou com raiva de você? É normal me importar com o que você pensa ou faz? Porque, se não for, eu acho que preciso ir ao médico.

Você se vai, meu peito chora. Você volta e traz meu sorriso de volta. Mas, até quando? Isso é comum? Acontece com todo mundo? Aonde isso vai parar? Na real, nem me importo com as respostas para essas perguntas, o que eu mais espero é que ele fique e que eu descubra ao seu lado o mundo.

No entanto, eu quero que você fique por inteiro, sem se importar com as pessoas que estão por fora da nossa relação. Não quero possuir metade de um amor, muito menos ter que dividi-lo com o orgulho bobo.

Preciso de demonstrações, preciso que você grite para o mundo inteiro que está comigo e segure a minha mão. Preciso que me beije em público, que me abrace e cuide de mim. Não diga que isso é para os outros, pois o amor precisa ser externado, meu coração precisa sentir o seu, porque ele já está ficando desacreditado do seu sentimento.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maracujá

Desejos de setembro ❤

[Resenha] Extraordinário - R. J. Palácio